14 de julho de 2008

ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE – Receitas naturais para o combate às pragas de jardins, hortas e pomares


O uso de produtos químicos, como inseticidas, pode ser muito eficiente, mas também cobra um alto preço, do ponto de vista do meio ambiente. A contaminação do solo e das águas, sem falar nos riscos de intoxicação pelo consumo de frutas, legumes e hortaliças que recebem esse tipo de tratamento, se somam à possível resistência de insetos, fungos e bactérias aos princípios ativos utilizados, contra-indicando seu uso sempre que for possível evita-los.

A consciência dos riscos dessas fórmulas tem sido de grande incentivo para a pesquisa de soluções naturais, não só por instituições científicas, como as universidades, a Emater e outras, mas também por parte de pesquisadores independentes, instituições regionais e entidades comunitárias. O resgate de soluções caseiras utilizadas por nossos antepassados, assim como a identificação de novos produtos orgânicos nos meios acadêmicos, vêm contribuindo para o uso e difusão de práticas mais adequadas e menos perigosas, como algumas que enumero abaixo.

Dando seqüência às receitas de caldas orgânicas que publiquei na postagem anterior, vão aí algumas novas fórmulas:

Cinzas – a cinza de madeira é um material rico em potássio, e muito recomendado na literatura mundial para o controle de pragas e doenças dos vegetais, sendo eventualmente aplicada em mistura com outros produtos naturais. Uma das suas utilizações mais populares, contra lagartas e vaquinha dos melões, é a seguinte: meio copo de cinza de madeira, meio copo de cal virgem e quatro litros de água. A cinza deve ser misturada antes com a água, repousando 24 horas, e finalmente acrescentando-se cal virgem, misturando bem e pulverizando em seguida.

Farinha de trigo – a farinha de trigo é recurso eficiente no controle de ácaros, pulgões e lagartas em horas domésticas e comunitárias. Sua aplicação deve ser feita em dias quentes e secos, de preferência com sol. Diluir uma colher de sopa de farinha para cada litro d’água e pulverizar sobre as folhas infestadas, de preferência na parte da manhã, pois a mistura cria uma película quando em contato com o sol, envolvendo os organismos invasores, facilitando sua remoção manual ou pela ação do vento. Repetir a cada duas semanas, até a solução do problema.

Leite – na forma natural ou como soro, o leite é indicado no controle de ácaros e no combate de lagartas, fungos e vírus, além de ser um eficiente atrativo para lesmas, facilitando sua remoção. Seu emprego é recomendado principalmente em hortas domésticas e comunitárias, através da diluição de um litro de leite para cada cinco de água, e pulverizando sobre as plantas. Contra insetos o processo pode ser repetido a cada três semanas, e para outras doenças, a cada dez dias.

No combate às lesmas, a recomendação é embeber com uma mistura de água e leite em partes iguais, um saco de estopa ou pano de algodão limpo, que deve ser colocado no pé da planta infestada, sob o qual elas se abrigarão durante a noite, e que poderá ser retirado facilitando o recolhimento das mesmas, pela manhã.

O leite, misturado com cinza de madeira, também é indicado no controle de míldio. Outra utilidade do leite é como fungicida, nas culturas de pimentão, pepino, tomates e batata, podendo ser usado também em hortaliças, nas diluições anteriormente recomendadas.

Sabão – o sabão (não confundir com detergente!!!) tem efeito inseticida, e pode ser ainda mais eficiente se acrescentado de outros defensivos naturais. Sozinho, tem efeito satisfatório no combate de insetos como pulgões, lagartas e mosca branca. O preparo mais comum é feito através da solução de 50 gr de sabão (de preferência de coco, mas também podendo ser do comum) em 5 litros d’água quente, que depois de fria e bem misturada, deve ser pulverizada sobre as plantas.

Para aumentar a eficiência contra insetos sugadores, como ácaros e cochonilhas, é indicada a mistura com 20 ml de querosene na fórmula anterior, sendo que neste caso é indispensável a aplicação imediata da mistura. A pulverização é a forma mais eficiente de aplicação, mas na falta desse equipamento, pode ser usado também o regador.

As receitas naturais não acabam aqui!!! Ainda tenho algumas, baseadas no uso de plantas, que vou mandar para vocês na próxima postagem. Por enquanto, vou mandando beijocas botânicas!!!

Até!!!

Célia Borges

Um comentário:

Alcatia disse...

Achei muito importantes as receitas naturais para o combate às pragas de jardins ,hortas e pomares .Moro em uma chácara e sou holística .Obrigada