1 de maio de 2008

PAISAGISMO E JARDINAGEM X – A importância de planejar, antes de plantar


Os serviços do paisagista são muito importantes para o desenvolvimento de projetos de jardins e áreas verdes, pois esse profissional reúne todos os conhecimentos técnicos indispensáveis para o sucesso do empreendimento. É importante observar também que os custos de um projeto de paisagismo não são tão dispendiosos com a maioria das pessoas julga, sendo proporcional ao tamanho da área a ser trabalhada.

Entretanto, mesmo sem recorrer a serviços profissionais, um jardineiro curioso e dedicado pode obter bons resultados em jardins, principalmente se a área a ser trabalhada não for muito grande. Basta para isso levar em consideração alguns fatores relevantes para a escolha e disposição das plantas, como o porte e a expectativa de crescimento das espécies escolhidas, a distância entre as mudas, o clima do local e as condições de insolação, umidade e ventos, entre outros.

A primeira providência para se fazer um “projetinho caseiro” é medir, com uma trena, a área a ser trabalhada. Pra quem dispõe de uma planta baixa do local, definindo os espaços externos, é meio caminho. Se não houver nada plantado, nem mobiliários ou outros elementos, é bem fácil projetar o conjunto, esbanjando criatividade. Se já houver elementos presentes, como limites de canteiros, bancos, árvores, cercas ou muretas internas, é preciso localizar cada um desses detalhes, e proceder à medição, de forma que todos sejam considerados.

Trabalhar sobre uma folha de papel milimetrado – aquele cheio de quadradinhos – é de grande ajuda para facilitar o planejamento. O paisagista usa uma régua de proporções apropriada, chamada escalímetro, mas não dispondo do conhecimento necessário para seu uso, você pode estabelecer, em função do tamanho da área, proporções de um, dois, três, quatro, ou quantos quadradinhos forem necessários para projetar cada metro. Usando uma régua comum, faça o traçado da área, e a seguir, sobre essa mapa, desenhe à sua maneira os elementos já existentes, para poder trabalhar no espaço que ficar disponível.

Ao preencher esse espaço, no projeto, considere, não o tamanho da muda, mas a expectativa de crescimento. Árvores de grande porte exigem áreas com diâmetros de quatro, seis metros, ou até mais. A maioria das frutíferas médias, como goiabeiras, amoreiras, jabuticabeiras e outras podem ficar no diâmetro de quatro metros para menos. Arbustos médios devem ser projetados entre três e dois metros de diâmetro, arbustos pequenos, na faixa de dois metros. Se quiser plantar canteiros sob o espaço das árvores, escolha plantas de meia sombra, pois com o crescimento das árvores e arbustos, elas ficaram cobertas pelos galhos e folhagens da planta maior.

Verifique também à posição do sol sobre o terreno, de forma a não desperdiçar plantas de sol pleno em locais que fiquem sombreados a maior parte do dia, ou vice-versa. Há plantas que suportam ventos, outras que não sobrevivem nessas condições, então é importante verificar a existência de paredes e muros que exerçam a proteção necessária para sua sobrevivência. O sol e o vento influenciam na umidade do ambiente, pois determinam a evaporação no local. Plantas que gostam de umidade devem ser protegidas dessas condições.

Ao escolher as espécies indicadas para o seu projeto de jardim, é indispensável considerar todas essas circunstâncias, caso contrário o jardineiro corre o risco de ver perdidos todos os seus esforços. Plantar duas mudas de árvores grandes sem observar a necessidade de espaçamento entre elas, pode obrigar a no futuro, que uma das duas tenha que ser sacrificada, para garantir o crescimento da outra.

A combinação de cores, no caso do plantio de espécies floridas, e a altura das plantas, com a colocação das mais altas no fundo e as mais baixas na frente, podem ser decisivas para você obter jardins e canteiros mais atraentes. Estudar o assunto, observando jardins que lhe agradam, ou pesquisando em revistas e livros sobre o assunto, sempre pode ser de grande ajuda. Alguns conhecimentos sobre o assunto, bom gosto e inspiração são caminhos seguros para se conceber um jardim de sonhos.

Célia Borges